Divas do pop X Donald Trump- A mulher na política.

treump

Hey, keridas, hoje vim falar com vocês sobre um assunto mais sério. As divas do pop podem ser as precursoras de uma participação maior da mulher nas discussões políticas ao redor do mundo. Desde a época de campanha, algumas divas do pop já se opunham à eleição de Donald Trump, e com a sua chegada no poder não poderíamos imaginar que seria diferente. Estrelas como Beyoncé, Lady Gaga e Katy Perry, que sempre se posicionaram a favor dos LGBTTQ, negros e outras minorias, se mostram insatisfeitas com a eleição de Trump através de discursos, pequenas afirmações em entrevistas e até letras de música e referências em apresentações e clipes.

A mudança que algumas dessas artistas tem feito em suas letras, ao deixar para trás a futilidade muito presente na musica pop e passar a abordar temas políticos, incomoda à alguns fãs, que dizem sentir falta das musicas “farofa”, termo que usam para descrever as músicas dançantes das cantoras. Embora para alguns fãs essa fase política seja chata, para mim representa o aumento do interesse feminino pelas questões políticas nos EUA, o que pode influenciar mulheres no mundo inteiro.

Em uma apresentação beneficente, promovida pelo Tidal em outubro de 2016, Beyoncé fez um discurso onde reafirmou seu apoio ao, até então presidente, Barack Obama e se mostrou claramente contrária a campanha de Trump fazendo referência ao ódio pregado pelo candidato e criticando sua “falta de noção.”A cantora ainda fez referência a musica Formation, cuja letra enaltece os negros e o videoclipe critica a polícia americana. Vocês podem conferir um trecho traduzido desse discurso no vídeo abaixo:

 

Acompanhando as diversas manifestações de repúdio ao republicano, logo após sua eleição, Lady Gaga foi até a frente do  edifício Trump Tower e segurou uma placa que apresentava um trocadilho com o sobrenome do presidente e dizia “O amor supera o ódio”, em tradução livre. Na legenda da foto no instagram disse a seguinte frase: ” Ele nos dividiu de forma tão descuidada. Vamos cuidar um dos outros agora.”

Katy Perry foi mais fundo em suas críticas contra o atual presidente. O clipe da música Chained to the Rhythm apresenta vários easter eggs que nos levam a perceber uma grande crítica política. Se você não conseguiu pegar essas referências eu fiz uma análise bem aprofundada desse clipe:

Não satisfeita com as referencias que fez a Donald Trump em seu clipe, Katy Perry o alfinetou novamente em sua apresentação no BRIT Awards 2017, que aconteceu na última quarta, 22 de fevereiro. Para reforçar sua crítica ela aparece cercada por casinhas que representam a família americana, como já colocou no clipe, e surgem dois esqueletos vestindo as roupas que Trump e a esposa usavam em campanha. Confesso que cheguei a me arrepiar em muitos momentos.

O fato é que podemos notar uma mudança de atitude por parte das artistas pop americanas nos últimos anos. E essas mulheres costumam inspirar e abrir caminhos para as outras ao redor do mundo desde Madonna, que sem dúvidas contribuiu para a libertação sexual e o empoderamento feminino durante toda a sua carreira. Beyoncé além de sempre ter usado feminismo em suas letras ainda foi a cantora que marcou a mudança recente de atitude, trazendo discussões sérias pra seus álbuns, o que foi iniciado no álbum 4 com a letra de Run The World (Girls) e reforçado em Beyoncé e Lemonade.  Ao trazer poemas da feminista negra, Warsan-shire, para o conhecimento do povo e ainda o discurso sobre feminismo de Chimamanda Ngozi, Beyoncé visa a modificação de uma sociedade que ainda é patriarcal e portanto representada politicamente por homens.  Em sua apresentação no Billboard Awards em 2011 ela convoca as mulheres: “Aos homens foi dada a chance de dominar o mundo, mas nossa revolução começou. Vamos construir uma nação! Mulheres por todos os lados, dominem o mundo!”

Talvez a mudança esperada pela Queen B esteja mesmo a caminho, pois enquanto as artistas se preocupam com a política o que vemos nas letras dos cantores americanos nos últimos anos é a mesma futilidade que sempre foi apresentada na música pop. Enquanto eles estão descuidados as mulheres demonstram cada vez mais interesse pela luta por direitos, não só os próprios mas da sociedade como um todo.

Esperar que dominemos o mundo talvez seja muito prepotente, mas estamos começando a nos impor e talvez assim em pouco tempo possamos ter uma representatividade maior no âmbito político. A igualdade só será alcançada quando formos devidamente representadas.

Espero que tenham gostado e que estejam mais empoderadas. Que Queen B abençoe todas vocês e não deixem de ler a palavra deixada por ela em Lemonade. Haha. Beijos e até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *